Siga através do seu e-mail!

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Veganismo: Uma nova atitude para 2010


"Houve um dia em que olhávamos o mundo com olhos de liberdade.

Críamos que tudo podíamos.

Éramos criaturinhas pequenininhas, coloridas e sonhadoras. Amávamos o céu, fazíamos desenhos nas nuvens, os animais nos encantavam e o tempo não era uma preocupação.

A chuva, fresca e gelada, nos convidava para um banho. E o caldo das frutas escorria, feliz, de nossas bocas adocicadas.

É! Naquela época não nos preocupava a dimensão do sorriso. Só queríamos viver plenamente. Não éramos criaturas uniformes.

Até que, um dia, de uma maneira quase que imperceptível, as cores do nosso mundo foram se transformando.

Nós já não éramos mais tão pequenos. O colorido deu lugar a uma sobriedade forçada.
Disseram-nos, reiteradamente, que sonhar, dali pra frente, não mais seria permitido. Que isso era coisa para loucos.

Assim, o céu foi se distanciando e já não havia mais tempo para brincas com as nuvens.

Os animais eram, agora, diferentes e temidos e o tempo nos foi colocado fixamente
no pulso, para que jamais o esquecêssemos.

Na chuva, nos entupiam de vitamina “C” e as frutas frescas foram substituídas por doces que nos engordavam e cansavam.

Nossos sorrisos, outrora fartos e largos, passaram a ser controlados pelos interesses materiais. Não éramos mais donos de nossas vidas, embora adultos. E nos ensinaram a mexer em máquinas.

A imprevisibilidade deu lugar à domesticação. E o tempo foi passando.

Foi então que começamos a ver grupos de pessoas nas ruas....Elas estavam tão juntas...E seguravam faixas, distribuíam panfletos e falavam de liberdade.

E elas...Bem, elas pareciam tão corajosas! Tão coloridas! Tão confiantes de seus
atos, mesmo em meio aquele turbilhão urbano.

E nós fomos recebendo aqueles panfletos baratos.

Muitos de nós lemos aqueles panfletos no mesmo instante. Outros tanto – a maioria – os guardaram no bolso, deixando para lê-los horas, dias, semanas mais tarde.

Neles, uma palavra a merecer destaque: VEGANISMO.

O Veganismo afirmava que era, sim, possível uma vida plena neste planeta. Uma vida simples e livre para todos os seres – inclusive para nós!

Urgia pelo fim da escravidão animal. Preconizava a adoção de uma dieta vegetariana estrita. Acreditava na renovação do planeta Terra e na autogerência de qualquer vida.

Aquelas idéias foram, aos pouquinhos, mexendo no inconsciente de todos aqueles que, um dia, olharam o mundo com os olhos da liberdade. Foi, como um perfume, despertando aqueles que brincaram na chuva, subiram em pés de fruta, amaram o céu e não tiveram vergonha de seus sorrisos.


Então, aqueles seres – veganxs* – foram crescendo, se reconhecendo e se dando as mãos, sem vergonha.

E foram colorindo as ruas, os parques, as escolas, as cidades, quebrando gaiolas, plantando girassóis, resgatando animais.

E é a todos aqueles que, neste instante, continuam despertando tantos seres ávidos por uma vida plena e livre, que dedico este texto.

A todos vocês, um 2010 pleno de coragem e ação."

Bianca Kölling Turano é Coordenadora da Sociedade Vegetariana Brasileira – GRUPO RIO (SVB-RIO) e do Departamento Nacional de Ativismo da Sociedade Vegetariana Brasileira.



Para entrar em contato com ela: svb.gruporio@gmail.com
Para filiar-se à SVB: http://www.svb.org.br/

O “x” é uma forma anti-sexista para unir veganos e veganas em uma só palavra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário